Atendimento:

9.00 - 18.00

Whatsapp:

21 3005-9186

Ligue:

21 3005-9186

Como fazer a declaração anual do MEI

Como fazer a declaração

A Declaração Anual do MEI – DASN-SIMEI é realizada através do Portal do Empreendedor, assim como os demais procedimentos para o Microempreendedor Individual, como inscrição, impressão de boletos, alteração e baixa.

A Declaração Anual tem um período para ser transmitida. Ela deverá ser feita entre 02 de janeiro e 31 de maio do ano subsequente.

Sendo realizada nesse período a Declaração Anual do Microempreendedor Individual é transmitida e não é gerado nenhum tipo de multa.

O que informar

O MEI deverá informar para a Receita Federal o total de sua Receita Bruta Anual, auferida no ano anterior, ou seja, tudo que foi apurado com a venda de mercadorias ou na prestação de serviços, com a emissão de nota fiscal, ou não (só para lembrar que quando se trata de venda ou prestação de serviços para outra empresa o MEI é obrigado a emitir nota fiscal).

Basta somar todos os valores que estão no “Relatório Mensal de Receitas Brutas”, referente a cada mês. Isso facilitará muito na hora de fazer a Declaração Anual do Microempreendedor Individual,

Lembre-se de informar se possui ou não empregado.

Passo a passo

1º Passo

Acesse o www.portaldoempreendedor.gov.br, selecione a opção DECLARAÇÃO ANUAL – DASN-SIMEI.

Preencha o campo a seguir com o CNPJ da empresa e os caracteres alfanuméricos, em seguida clique em continuar.

Então você visualizará dois tipos de Declarações/Ano calendário: Original e Retificadora.

Na linha “original” aparecerão vários anos. Selecione a opção do ano anterior para realizar a Declaração Anual do MEI.

2º Passo

No campo Valor da Receita Bruta Total, informe o faturamento total anual da empresa e no campo abaixo informe apenas o valor das receitas referentes às atividades de comércio, indústria e serviço de transporte intermunicipal e interestadual.

Assim que concluir a DASN-SIMEI (Declaração Anual) o sistema perguntará se o MEI deseja imprimir, basta confirmar e guardar o comprovante da sua Declaração Anual para apresentar quando necessário.

3º Passo

Para o Microempreendedor Individual que não fez a Declaração Anual dentro do prazo, ou seja, até 31 de maio o procedimento é o mesmo.

Acessando www.portaldoempreendedor.gov.br opção DECLARAÇÃO ANUAL – DASN-SIMEI, porém é importante saber que haverá multa por realizar a declaração fora do prazo.

Cuidados:

  • A Declaração Retificadora, só deverá ser acionada caso o MEI desejar alterar o valor já informado.
  • Alguns órgãos licenciadores como Prefeitura Municipal, Vigilância Sanitária, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, SEFAZ e outros costumam solicitar comprovante de entrega da Declaração Anual, quando na renovação de licenças e alvarás.
  • Para o MEI que desejar abrir conta em banco através de seu CNPJ é bom saber que as instituições financeiras sempre solicitam comprovação de renda. A Declaração Anual do MEI serve como comprovante de imposto de renda da empresa.
Importante Lembrar:

 

  • Não se pode confundir a DASN-SIMEI (Declaração Anual do MEI) com a Declaração Anual do Imposto de Renda da Pessoa Física, que deve ser entregue até 30 de abril.
  • O Empreendedor deve separar o que se refere à Pessoa Física (CPF, dele) e à Pessoa Jurídica (CNPJ, da empresa).  A receita da atividade do MEI é da Pessoa Jurídica.
  • Os lucros retirados da empresa constituem a renda da Pessoa Física e são considerados rendimentos isentos e não tributáveis até o limite de 8% (para comércio e indústria) ou 32% (serviços) da receita bruta.

Fonte: Sebrae

 

Ainda com dúvidas de como fazer sua declaração? Entre em contato conosco que fazemos sua Declaração a um preço Justo!

 

 

 

MEI: Declaração Anual de Faturamento do MEI tem prazo até dia 31 de Maio

Uma vez ao ano (de 02 de janeiro a 31 de maio), o MEI precisa enviar uma declaração anual, informando sua receita bruta relativa ao ano anterior. Como essa declaração também é feita diretamente no Portal do Empreendedor, se você tiver feito todas as suas declarações mensais, basta somar esses dados que terá sua declaração anual.

 

Fique atento, pois ela é obrigatória e pode trazer muita dor de cabeça caso não seja feita, já que caso o MEI não realize a declaração anual, ao longo do próximo ano, o sistema poderá identificar a falta desse documento e travar a emissão das guias de DAS, o gera grandes problemas já que você não conseguirá pagar seus impostos em dia.

Além disso, ela é importante pois pode servir como comprovante de renda e também como informe de rendimentos para que você utilize na hora de realizar sua declaração de imposto de renda.

Como realizar essa declaração?

No Portal do Empreendedor, selecione a opção ENVIAR DECLARAÇÃO. Lembre-se de que você precisará estar com o seu CNPJ em mãos para acessar o sistema.

Ao inserir seus dados você terá duas opções disponíveis: ORIGINAL E RETIFICADORA;

Como é a primeira que está fazendo (relativa a este ano), vá em ORIGINAL e selecione a opção do ano anterior para realizar a Declaração Anual.

Em VALOR DA RECEITA BRUTA TOTAL, informe o valor total que sua empresa faturou no ano anterior e também a origem de cada uma dessas receitas. Ou seja, se vieram por atividades de comércio, indústria ou serviço.

Feito isso, basta clicar em ENVIAR.

Pronto, está feita sua Declaração Anual de Faturamento! Agora imprima o comprovante e guarde em local seguro.

Nós da Tokius Contabilidade fazemos essa declaração Anual do MEI pra você a um preço Justo! Caso não queira fazê-la você mesmo entre em contato conosco pelo Chat que lhe informaremos os preços!

 

 

FONTE:  JORNAL CONTÁBIL

quais as vantagens de ter um MEI

Quais as vantagens de ter um MEI

Saber quais as vantagens de ter um MEI é um dos primeiros passos para obter a formalização e assim ter acesso a uma série de benefícios e vantagens, bem como facilidades que a informalização não permite!

Quais as vantagens de ter um MEI? Como funciona?

Por acaso você sabe quais as vantagens de ter um MEI? Se a sua resposta foi não, saiba que você pode estar deixando de ter acesso a uma série de benefícios e até mesmo potencializar o seu sucesso!

De acordo com os dados divulgados pelo IBGE recentemente, ocorreu uma substancial alta com relação ao modelo de trabalho informal no país.

Para se ter uma ideia disso, somente no terceiro trimestre do ano de 2017, foram registrados cerca de 10,8 milhões de pessoas que empreendem ou trabalham de forma totalmente informal.

Isso se refere a um aumento de impressionantes 2,7% em relação ao trimestre anterior do que foi apurado, ou seja, abril, maio e junho!

Já em comparação com o ano de 2016, a elevação é ainda mais relevante, chegando a 5,4%.

Por mais que a informalidade tenha diminuído o índice de desemprego no Brasil, alguns especialistas alertam que a formalização é o melhor caminho a ser adotado! Entenda os motivos a seguir!

Quais as vantagens de ter um MEI – por que a formalização é tão importante?

Segundo os especialistas do SEBRAE-SP, a formalização é um dos melhores caminhos que microempreendedores individuais podem adotar, visto que se trata de um passo mais seguro em meio ao universo dos negócios.

O empreendedor devidamente formalizado consegue ter acesso a uma série de vantagens, principalmente quando existe a comparação com quem não segue esse passo, ou seja, se mantém na irregularidade.

Uma das vantagens que podem ser obtidas pelo MEI, por exemplo, é o fato de ter acesso ao Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ. Isso facilitar essencialmente na abertura de uma conta bancária.

Outras facilidades podem ser atribuídas à obtenção de um pedido de empréstimo, vender para outras empresas, realizar a emissão de notas fiscais, ter alvará de funcionamento, aposentadoria, salario maternidade, e muitos outros.

Atualmente no Brasil estima-se um total de 7,6 milhões de MEIs distribuídos em um montante de mais de 500 profissões distintas.

Isso inclui artesãos, chocolateiros, pintores, manicure, boleiros, depiladoras, cuidados de animais, diaristas e muitos outros.

Somente no estado de São Paulo existem 1,9 milhões de MEIs desse montante total – é um numero bastante representativo e revela muito sobre a atual economia do país!

Mas, o que é o MEI afinal?

O MEI nada mais é do que o profissional que decide trabalhar por conta própria e que para tanto visa a legalização de seus serviços tornando-se um pequeno empresário.

Para que você possa se tornar um MEI é preciso seguir algumas premissas básicas, como por exemplo, ter um faturamento anual máximo de 81 mil reais (valores atualizados em 2018).

Além disso, ele não pode ter participação ativa em qualquer outra empresa como sócio ou até mesmo titular.

O MEI também tem direito de contratar um empregado, desde que o mesmo receba até um salario mínimo ou o piso referente a categoria!

Com o MEI tudo acaba ficando bem mais fácil para o empreendedor – ações que antes eram mais burocráticas tornam-se mais fáceis e acessíveis e ainda ajuda a garantir bons negócios!

Isso porque por meio da regularização você pode elevar suas demandas de trabalho e vender para outras empresas, o que pode acabar resultando em valores mais atraentes e promissores.

Conheça as grandes vantagens de ser MEI!

Confira abaixo uma breve relação das principais vantagens de se tornar MEI:

Com a formalização você tem direito a cobertura previdenciária do INSS

O MEI é registrado junto ao Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas – CNPJ, o que lhe possibilita fazer emissão de NF, ter conta bancária empresarial e até mesmo acessar determinadas linhas de crédito.

A formalização agrega o direito de poder participar de licitações publicas Quem se torna MEI tem acesso a muitas facilidades, não precisando se preocupar com taxas de registro, tributos elevados e ainda tem que realizar o pagamento de um valor fixo mensal.

Os controles tendem a ser bem mais simplificados, bem como os acessos a determinados serviços ofertados de forma absolutamente gratuita.

O MEI tem direito a uma maior segurança jurídica quando está disposto a obter um maior desenvolvimento do seu negócio.

Diante de todos esses aspectos, fica evidente que o melhor caminho para ter um negócio de sucesso é ir de encontro à formalização!

Dica: antes de se registrar como MEI procure checar junto à prefeitura da sua cidade se a sua atividade está liberada no seu endereço previamente informado e se está dentro da lei de zoneamento.

Agora que você já sabe quais as vantagens de ter um MEI, que tal aderir o quanto antes à formalização e começar ter acesso a todos esses benefícios?

MEI precisa de Contador

MEI precisa de Contador?

Muitas pessoas tendem a se perguntar se o MEI precisa de Contador ou não! Na verdade, essa é uma das dúvidas mais recorrentes para quem possui sua MEI, principalmente para quem decidiu ingressar nesse universo recentemente!

MEI precisa de Contador?

MEI precisa de Contador? – certamente todo microempreendedor individual já se fez ou fará em algum momento essa pergunta!

De acordo com a Lei Complementar nº 128, de 19/12/2008, que tem como objetivo tratar das questões relacionadas ao MEI com limite de faturamento anual de até 81 mil reais, não é preciso contratar um contador.

O MEI também é totalmente dispensado de considerar uma contabilidade formal, o que não lhe obriga de forma alguma a estruturar um livro.

Mas, aqui mora um perigo! Mesmo se tratando de algo que não seja obrigatório, é importante que o MEI se dedique a trabalhar de forma extremamente organizada.

É fundamental manter um bom controle de compra e venda, saber o quanto se está de fato ganhando, para não acabar sendo traído pela falta de informação!

Quer ficar ainda mais por dentro desse assunto e ainda evitar possíveis dores de cabeça? Então continue acompanhando esse artigo!

MEI precisa de Contador – sem um contador é possível atribuir um bom controle das suas finanças e responsabilidades?

Como dito anteriormente, o MEI não tem qualquer obrigatoriedade em ter um contador, mas se por ventura ele quiser obter um serviço contábil não há nada que lhe impeça de tomar essa decisão!

Para quem tem o objetivo de obter um serviço contábil feito de forma mais profissional, contratar um contador pode ser um caminho bastante adequado e nós da Tokius Contabilidade temos todo o suporte pra você focar somente no seu negócio!

Para poder ter acesso a um empréstimo, por exemplo, o MEI precisa realizar a apresentação de alguns documentos contábeis, e nesse caso, o contador pode ser sim um grande aliado.

Mas, mesmo que você não precise levar em consideração essa obrigatoriedade, é importante tomar algumas medidas importantes, como manter um arquivo de todas as notas de compra feitas por você.

O mesmo é válido para documentos de empregados (caso tenha), canhotos de nota fiscal que eventualmente fizer a emissão e manter tudo bem organizado em caso de eventualidades futuras.

Na realidade, toda essa necessidade organizacional tem como finalidade beneficiar única e exclusivamente o próprio MEI, por permite que você atribua um maior controle sobre tudo que permeia suas finanças e faturamento.

O que saber sobre o faturamento mensal de suas receitas brutas?

Todo dia 20 (de todos os meses do ano) o MEI precisa se lembrar de fazer o preenchimento do seu Relatório Mensal das Receitas que conseguir ter no mês anterior.

Para ajudar na organização, o MEI deve sempre manter o relatório anexado junto às notas fiscais que foram emitidas e também as de compra.

Isso ajudará substancialmente na hora de fazer a sua declaração anual. E não se preocupe, esse relatório mensal é para organização própria e não é necessário envia-lo para ninguém!

No portal do empreendedor você pode ter acesso ao modelo: Modelo do Relatório Mensal de Receitas Brutas.

E sobre a declaração anual simplificada?

Todos os anos o MEI tem a obrigação de realizar a sua declaração do faturamento, sempre com base no ano anterior.

É importante ficar atento ás datas viventes para envio da declaração, pois caso o prazo seja excedido, o MEI deverá realizar o pagamento de uma taxa (multa).

Você pode conferir as declarações feitas ou solicitar a emissão da declaração vigente no Portal do Empreendedor - Declaração Anual do Simples Nacional – DASN-SIMEI.

Atrasei o meu pagamento mensal – e agora?

Quem decide não contar com um contador pode acabar cometendo esse tipo de esquecimento – mas, calma! É possível resolver a situação por conta própria também!

Se por ventura você acabou deixando um pagamento em aberto, poderá paga-lo após a data do vencimento. Porém, nesse caso deverá considerar que haverá uma cobrança de juros e também uma multa!

A multa é de 0,33% para cada dia de atraso e pode chegar até no máximo em 20%. Os juros são calculados levando em consideração a taxa Selic, que é de somente 1% (se for o primeiro mês de atraso).

Nesse caso, o MEI deverá fazer a emissão de uma nova DAS, referente ao mês de atraso – a mesma já virá com os cálculos atualizados. Como ficou evidente, se o MEI considerar esses pontos essenciais conseguirá tocar seu negócio sem que haja necessidade de contar com um contador para lhe prestar assistência.

Mas, de qualquer forma, nada lhe impede de contar com a ajuda de um profissional – o caminho mais eficiente em ambos os cenários é que você sempre mantenha sua documentação em dia!

MEI precisa de Contador? – agora que você já tem maiores orientações, que tal compartilhar esse artigo com outras pessoas que talvez tenham essa mesma dúvida?

Maiores dificuldades do MEI e as possíveis soluções

Maiores dificuldades do MEI e as possíveis soluções

As maiores dificuldades do MEI foram reveladas por meio de um estudo promovido pela Serasa Experian e por meio dele pode-se constatar que grande parte desses pontos, embora comuns, são simples de serem resolvidos!

Maiores dificuldades do MEI e as possíveis soluções

Em 2017, o Serasa Experian realizou um estudo demográfico com o intuito de conseguir entender melhor as maiores dificuldades do MEI – para tal estudo, foram consultados 450 trabalhadores do varejo e comércio!

De acordo com os resultados obtidos na época, grande parte desses empreendedores se mantinha em busca de independência financeira, crescimento de caráter profissional, satisfação, menor carga horária, e outros.

Mas, um dos pontos mais apontados pelos entrevistados foi a facilidade que compõe o processo de formalização do MEI, bem como a baixa carga tributária!

Só que não é apenas de rosas que os microempreendedores vivem! Há algumas dificuldades que ainda assolam esses trabalhadores.

Continue lendo esse artigo e entenda melhor quais são as grandes dificuldades enfrentadas para quem opta pela abertura do MEI!

Maiores dificuldades do MEI – conheça mais sobre elas!

Com base no estudo promovido pela Serasa Experian, pode-se identificar que grande parte dos MEIs possuem dificuldades em conseguir um acesso de financiamento.

Para se ter uma noção mais assertiva desse ponto, cerca de 91% não conseguem obter uma linha de crédito e isso é um grande impedimento para seu crescimento e investimentos em seu negócio.

Em grande parte dos casos, com o intuito de contornar essa situação, alguns acabam optando em recorrer pelo crédito pessoal – só que os juros e taxas para isso podem ser nocivos para um empreendedor.

Há ainda uma boa parcela que acaba recorrendo em solicitar empréstimos para amigos ou familiares, e essa prática pode acabar também trazendo possíveis dores de cabeça.

Outro ponto de destaque que foi diagnosticado no estudo, consiste em uma substancial falta de tempo – na verdade o tempo é até mesmo visto como uma espécie de artigo de luxo para quem trabalha por conta própria.

O problema é saber ponderar – entre operacionalizar o negócio, procurar se dedicar às questões financeiras, realizar a divulgação da empresa e cuidar de todas as tarefas diárias.

A questão é que tanto as questões financeiras como também as atribuições que envolvem a divulgação acabam sendo deixadas em segundo plano, e a operacionalização torna-se o carro chefe!

E é aí que muitos MEIs sentem dificuldades de conseguir atribuir bons resultados em seu negócio, não sabem ao certo se estão tendo bons lucros ou prejuízos e a rotina acaba sendo ainda mais massacrante!

Isso porque acaba não se tomando as medidas necessárias para investir mais na empresam provocando uma ruptura entre o que foi projetado e a realidade.

Outro aspecto que acaba sendo bastante identificado por parte dos Microempreendedores Individuais é a dificuldade em conseguir conciliar de forma saudável a vida pessoal e a rotina empreendedora.

Um dos acontecimentos mais marcantes está associado a manter uma conta corrente no banco para as duas finalidades, o que pode acarretar um descontrole financeiro!

A dificuldade em adequar uma boa estruturação acerca dos fornecedores.

Outra dificuldade bastante comum e que também foi identificada por meio do Estudo promovido pelo Serasa Experian é com relação aos fornecedores!

Isso porque a busca e também a manutenção ainda acaba sendo considerada pouco estruturada.

Em grande parte dos casos, os MEIs ainda acabam se utilizando as ferramentas de busca existentes na internet, com o intuito de descobri parceiros para o seu negócio.

O ideal seria manter um cadastro bem estruturado e organizado de todos os fornecedores, pois isso ajudaria a dinamizar, e muito, o fluxo de trabalho.

Não investir em bons canais de comunicação e divulgação é uma das dificuldades de muitos MEIs

Entre as maiores dificuldades do MEI destaca-se também a ausência do uso de soluções consideradas mais avançadas para conseguir divulgar seu negócio.

Na verdade, quem se enquadra nesse perfil de empresa ainda não prioriza a preocupação em realizar investimentos na obtenção de um site próprio, e-mail ou até mesmo para promover campanhas digitais qualificadas.

O lado bom é que a pesquisa apontou que muitos manifestam interesse nesse aspecto, mas possuem dificuldades em incluir tais premissas em meio à sua rotina de atuação.

Isso se dá por todos os aspectos citados acima, mas principalmente devido à ausência de uma organização financeira – afinal, para investir é preciso saber qual o aporte de dinheiro que sem tem, certo?

Mesmo que a propaganda seja ainda algo que se mantém eficiente, é importante se atualizar e buscar meios de interagir junto ao publico de diferentes maneiras! – basicamente estar onde o publico também está!

E como resolver tudo isso?

Buscar conhecimento técnico! – Além disso, sempre se manter bem atualizado acerca da sua área de gestão.

Para tanto, os caminhos podem ser vários, podendo incluir o uso de um software de gestão, aplicativos e plataformas que ajudem a otimizar o tempo e que também agreguem informações para os processo do seu negócio!

Essas são as maiores dificuldades do MEI – e você? Se identificou com algumas delas?

Fechar [x]